Segunda, 18 de Janeiro de 2021
83 99389-4851
Política Wilson Santiago

Auxílio emergencial: deputado paraibano apresenta proposta para continuação de pagamentos em 2021 e comenta que não dá para esperar cair do céu

Wilson Santiago (PTB-PB) disse que já apresentou proposta para continuação de pagamentos do auxílio emergencial aos necessitados do benefício durante a pandemia do novo coronavírus.

12/01/2021 16h01
347
Por: Redação Fonte: ClickPB/Lucas Isídio
Wilson disse que
Wilson disse que "não podemos deixar que a população fique a mercê" e completou alegando que "mesmo que não sejam R$ 600 ou R$ 1.200, que o Estado brasileiro possa pagar e a população seja atendida emergencialmente". (Foto: Walla Santos/ClickPB/Arquivo)

O deputado federal Wilson Santiago (PTB) disse que já apresentou proposta para continuação de pagamentos do auxílio emergencial aos necessitados do benefício durante a pandemia do novo coronavírus. A declaração foi dada em entrevista ao programa Arapuan Verdade desta terça-feira (12), conforme apurou o ClickPB.

Wilson disse que "não podemos deixar que a população fique a mercê de tudo, com desemprego e falta de condições de sobrevivência" e completou alegando que "mesmo que não sejam R$ 600 ou R$ 1.200, que o Estado brasileiro possa pagar e a população seja atendida emergencialmente até junho, que é quando temos as condições de um grande avanço na vacina que combate essa doença."

Questionado pelo apresentador Luís Torres, se há viabilidade de aprovação desse projeto, o parlamentar paraibano declarou que ele tem condições de ser concretizado. "Na verdade, para, não só pressionar, como também representar a real situação do Brasil inteiro. Todos nós sabemos da quantidade de desempregados que têm neste país, da quantidade de pessoas que estão sendo sacrificadas em decorrência dessa pandemia que tem dificultado não só a vida da população, como também a vida das empresas pelo Brasil inteiro. Então o projeto, de fato, é para valer e quando é para valer chama a atenção do Governo Federal e do Congresso Nacional e, com isso, nós teremos condições de encontrarmos soluções que atendam diretamente as necessidades da população."

Wilson Santiago informou que essa nova proposta ocorre "da mesma forma que fizemos antes, quando o governo propôs auxílio emergencial de R$ 200, no ano passado, para socorrer esses desempregados e também muitas dessas famílias brasileiras. Nós apresentamos destaque, não só destacando a proposta do governo, estendendo de R$ 200 para R$ 400, naquele primeiro momento, e isso despertou no Congresso as bancadas e demais partidos e resultou com o governo aceitando o auxílio de R$ 600, em alguns casos até dobrando para R$ 1.200. Então isso significa dizer que se o Congresso Nacional tivesse cruzado os braços naquele instante, ou teria ficado nos R$ 200 mensais ou nada."

O deputado paraibano explicou como se dará o andamento da apresentação da proposta em Brasília. "Portanto, com o término desse auxílio emergencial que passou, nós estamos se antecipando ao dia do reinício do período legislativo, no dia 2 de fevereiro, nós estamos apresentando um projeto de lei reeditando o mesmo projeto do ano anterior, pedindo ao governo que restabeleça o mesmo programa, contando de 1º de janeiro de 2021, já que o auxílio emergencial foi extinto no dia 31 de dezembro de 2020. O Congresso Nacional discutiria o projeto de lei, restabelecendo o auxílio emergencial. Com certeza o governo, o Ministério da Economia e os interessados dos demais partidos aqui no Congresso serão chamados ao feito e, com isso, darão uma discussão e encontraremos uma solução para atender a essa demanda."

Ele disse que o projeto deve andar com a volta do período legislativo. "Já apresentamos a proposta. Ela já foi apresentada no protocolo da Câmara dos Deputados. O que está faltando é dar continuidade à tramitação porque o período legislativo só começa no dia 1º de fevereiro. Então a partir daí é que será distribuído para alguma comissão ou relator emergencialmente designado e, com isso, se reúnem os partidos políticos e chegaremos a um denominador, que é pautar o projeto, levar para o plenário e se começar a discussão em relação a isso. Se ninguém tivesse a iniciativa é que se aguardaria. Mas aguardar o quê? Esperar o quê? Que caia do céu? Nunca isso acontecerá."

Sobre as fraudes nos cadastros, Wilson Santiago argumentou que "muitas distorções existiram. Mas os órgãos de controle estão a todo vapor para punir."

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias