Domingo, 18 de Abril de 2021
83 99389-4851
Paraíba Sapé

CASO NAYANNA – Família acusa hospital por negligência. Direção do Sá Andrade diz que procedimentos foram realizados e lamenta óbito

CRM também investiga Hospital de Sapé por rejeitar pacientes de Mari. Ministério Público foi cientificado sobre denúncias

03/03/2021 14h45 Atualizada há 2 meses
3.822
Por: Redação
CASO NAYANNA – Família acusa hospital por negligência. Direção do Sá Andrade diz que procedimentos foram realizados e lamenta óbito

A jovem Nayanna Kelly Flor dos Santos veio a óbito na tarde de ontem (02/03) no Hospital Sá Andrade em Sapé. Segundo nota oficial, o óbito se deu por consequência de doença hepática autoimune, de longa data, caso que já vinha sendo acompanhado por médicos do Hospital Universitário Lauro Wanderley da UFPB, em João Pessoa.

Contudo, um vídeo que viralizou no município em que Nayanna agonizava em uma cadeira de rodas no Hospital de Sapé, com o áudio de uma senhora que a acompanhava reclamando do atendimento do hospital, causando revolta na população. Nas redes sociais, familiares de Nayanna acusam o hospital por negligência, pois não teriam providenciado a transferência em caráter de emergência para um hospital especializado na Capital.

 

Em nota, a direção do Hospital Regional Dr. Sá Andrade alega que a jovem “chegou com estado geral comprometido, sendo encaminhada, posteriormente, para a Sala Vermelha, onde permaneceu sob cuidados intensivos, com equipe médica e de enfermagem. Após a estabilização clínica, foi solicitado pelo médico plantonista, ainda no dia 1º, uma vaga em hospital de referência na Capital. Contudo, apenas às 13h53 do dia 2 de março foi disponibilizada uma vaga no Hospital Universitário Lauro Wanderley. Porém, infelizmente, minutos antes, por volta das 13h15, a paciente havia evoluído com instabilidade hemodinâmica, sendo realizados procedimentos de reanimação cardiovascular. Para nosso lamento, às 14h20 do dia 2 de março de 2021, ela não resistiu e veio a óbito”.

A reportagem do Portal GPS entrou em contato com o diretor geral do Hospital Sá Andrade, José Wilson Florêncio Cavalcante, no início da manhã de hoje (03), solicitando mais informações sobre o tipo de atendimento que foi prestado à paciente, as condições da Sala Vermelha, os procedimentos na apuração do caso e sobre uma possível apuração por parte do Conselho Regional de Medicina do Estado da Paraíba (CRM-PB). O diretor nos respondeu que estava realizando uma auditoria de rotina no hospital e que posteriormente teria uma reunião e que nos responderia em outro horário. Até o fechamento da matéria, às 12h55, não recebemos o retorno da direção do hospital.

Wilson Cavalcante – Diretor Geral do Hospital Sá Andrade

CRM também investiga Hospital de Sapé por rejeitar pacientes de Mari

O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) fiscalizou a Unidade Mista de Mari, no último dia 20 de janeiro, após denúncias de falta de médicos no local. Conforme o Departamento de Fiscalização do Conselho, a ausência de médicos não foi constatada, estando completa a escala médica de janeiro de 2021. Além disso, foi observado que há equipamentos e materiais necessários para o atendimento dos pacientes na sala de classificação de risco (triagem), sala de urgência e emergência, sala de procedimento e curativos, sala de observação e no consultório médico. A unidade, no entanto, não disponibiliza exames de radiografia simples.â €

Outra constatação da fiscalização foi a inadequação da nomenclatura “unidade mista”, já que se trata de um pronto-atendimento, inclusive com tal classificação junto ao Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). A unidade não realizada internação, nem atendimento de estratégia de saúde da família. Possui três leitos de observação e, no momento da vistoria, apenas um leito estava ocupado. â €

De acordo com informações prestadas ao CRM-PB, o Hospital Sá Andrade, em Sapé, é a referência pactuada para a Unidade Mista de Mari. No entanto, há denúncias de que há exigências e negativas por parte do hospital, solicitando que os pacientes sejam encaminhados já com os medicamentos que serão administrados. O CRM-PB deu ciência ao Ministério Público sobre estas denúncias.

Em dezembro do ano passado, o CRM-PB fiscalizou o Hospital de Sapé e constatou que faltavam medicamentos essenciais para o funcionamento do hospital, como Buscopam Composto, Terbutalina, Omeprazol, Dexametasona, Ciprofloxacin, Complexo B, dentre outros.

Nossa reportagem também solicitou informações da direção do Sá Andrade sobre esse caso, mas também não foi dado o retorno até o momento. O Hospital Regional Dr. Sá Andrade atende ao município de Sapé e circunvizinhos como Mari, Sobrado e Riachão do Poço.

Veja abaixo a Nota Oficial da direção do hospital.

Da Redação com Portal GPS com informações do CRM-PB.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias