Domingo, 18 de Abril de 2021
83 99389-4851
Brasil Economia

Férias de Bolsonaro custaram mais de R$ 1,2 milhão aos cofres públicos, diz governo

Durante o período em que passou de férias, a população brasileira acompanhou as cenas do presidente nadando em direção a praias lotadas, se negando a usar máscara, cumprimentando turistas sem os protocolos sanitários, e voltando a afirmar que o país não precisava de lockdown.

02/04/2021 16h55
224
Por: Redação Fonte: Congresso em Foco
Segundo os dados apresentados, quase R$ 1,2 milhões foram gastos com o cartão corporativo do governo federal, R$ 1,05 milhão bancaram combustível e manutenção de aeronaves, e R$ 202 mil diárias da equipe de segurança presidencial. (Foto: reuters)
Segundo os dados apresentados, quase R$ 1,2 milhões foram gastos com o cartão corporativo do governo federal, R$ 1,05 milhão bancaram combustível e manutenção de aeronaves, e R$ 202 mil diárias da equipe de segurança presidencial. (Foto: reuters)

As férias do presidente Jair Bolsonaro custaram aos cofres públicos R$ 1,4 milhões. Os números foram apresentados pela Presidência da República à Câmara dos Deputados, atendendo a dois pedidos de informações do deputado Elias Vaz (PSB-GO). O período de descanso ocorreu de 18 de dezembro de 2020 a 5 de janeiro deste ano. Ele passou entre as cidades de Guarujá (SP) e São Francisco do Sul (SC). 

Segundo os dados apresentados, quase R$ 1,2 milhões foram gastos com o cartão corporativo do governo federal, R$ 1,05 milhão bancaram combustível e manutenção de aeronaves, e R$ 202 mil diárias da equipe de segurança presidencial.

Em matéria publicada no Congresso em Foco, o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) dá poucas informações sobre a viagem. Apesar de não especificar os gastos, a SGP afirma que o montante foi utilizado para pagar a hospedagem das equipes de apoio e segurança do presidente, assim como fornecer alimentação, garantir a manutenção das residências onde Bolsonaro ficou, combustível para carros, aeronaves e despesas aeroportuárias. O documento também fala na aquisição de "despesas de pequeno vulto para os órgãos da Presidência" sem, no entanto, detalhá-los.

Durante o período em que passou de férias, a população brasileira acompanhou as cenas do presidente nadando em direção a praias lotadas, se negando a usar máscara, cumprimentando turistas sem os protocolos sanitários, e voltando a afirmar que o país não precisava de lockdown. Nesse mesmo período, Manaus iniciada o colapso na saúde, sem leitos para os doentes da covid-19, bem como a falta de insumos básicos como oxigênio.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias