Sábado, 08 de Maio de 2021
83 99389-4851
Política Politica

MP Eleitoral investiga suposta candidatura “laranja” para vereadora em João Pessoa

.

26/04/2021 12h06
19
Por: Redação Portal Sapé na Web Fonte: Blog blogs.jornaldaparaiba/Laerte Cerqueira e Angélica Nunes

O Ministério Público Eleitoral abriu procedimento para investigar suposta candidatura “laranja” para vereadora, do partido Republicano, em João Pessoa.

A ex-candidata Marlene Garla Pereira da Silva não teve um voto nas eleições municipais na capital do ano passado. A suspeita é de que a legenda tenha utilizado o nome dela para cumprir formalmente a cota de gênero. 30% das candidaturas têm que ser femininas, diz a lei.

A promotora Jovana Tabosa quer saber ainda se ela realizou campanha eleitoral para o cargo, quanto recebeu do fundo partidário para gastar durante a campanha eleitoral, se foi ela que usou o dinheiro, como foi feita a campanha. Na prática, descobrir se ele entrou na disputa pra valer ou se seu nome foi usado para ajudar o partido a cumprir a legislação eleitoral.

No site do TSE está registrado que Marlene Garla recebeu R$ 6 mil do partido. O dinheiro foi usado para serviços advocatícios, contábeis e publicitários. Marlene, de acordo com a Justiça Eleitoral, também foi candidata a vereadora em 2016, 2012 e, em 2014, foi candidata a deputada estadual.

Caso do Republicanos em João Pessoa

Se as irregularidades forem comprovadas, o mandato do vereador Bispo José Luiz, único eleito pelo Partido Republicanos na Capital, é atingido. Bem como todos os suplentes da legenda, que podem “cair”. Podem ter mandatos cassados.

Bispo José Luiz foi o quarto mais bem votado nas eleições de 2020, com 5.883 votos. A denúncia de suposta irregularidade foi feita pelo Diretório Municipal do Partido Solidariedade, também de João Pessoa.

Diamante 

Esta semana, todos os vereadores suplentes e eleitos em 2020 pelo partido Republicanos, no município de Diamante, no Sertão da Paraíba, tiveram os diplomas cassados. A justiça entendeu que a legenda não respeitou a cota de gênero exigida pela legislação eleitoral e usou “laranja” para cumprir a legislação.

Os envolvidos

O Conversa Política não conseguiu o contato de Marlene Garla Pereira da Silva. Também não conseguimos falar com a direção municipal do Republicanos.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias