Quinta, 16 de Julho de 2020 11:06
83 99389-4851
Anúncio
Saúde Salvar Vidas

Mais de 600 pessoas procuram Hemocentro da Paraíba para doar plasma, mas apenas 41 estavam aptas para doação

Para ser doador de plasma necessário alguns requisitos como ter entre 18 e 65 anos de idade, ter o exame que comprove o momento que teve a doença, estar mais de 30 dias curado, não ter tido a forma grave, ou seja, hospitalizado, e, se for mulher, não ter tido aborto ou filhos.

26/06/2020 22h45
36
Por: Jeferson Elias Fonte: ClickPB
Mais de 600 pessoas procuram Hemocentro da Paraíba para doar plasma, mas apenas 41 estavam aptas para doação

Um projeto pioneiro na Paraíba para o tratamento da covid-19 é a infusão de plasma em pacientes acometidos pela doença. Do início do mês de junho até esta sexta-feira (26), 620 pessoas entraram em contato com o Hemocentro da Paraíba. Dessas, 41 foram consideradas aptas a doarem o plasma, o que gerou 82 bolsas. Além disso, 39 bolsas já foram liberadas para tratamento, 21 estão na fila para serem liberadas, 10 estão bloqueadas (não serão liberadas) e 12 aguardam resultados de exames. 

A diretora do Hemocentro da Paraíba, Shirlene Gadelha, informou que nem todas as pessoas que entraram em contato com a unidade estavam aptas para doar, ou seja, não estavam dentro dos critérios exigidos. Além disso, comentou que após as doações ainda são realizados exames para somente as bolsas serem liberadas. Se há impedimentos, elas são bloqueadas. 

Para ser doador de plasma necessário alguns requisitos como ter entre 18 e 65 anos de idade, ter o exame que comprove o momento que teve a doença, estar mais de 30 dias curado, não ter tido a forma grave, ou seja, hospitalizado, e, se for mulher, não ter tido aborto ou filhos. Os interessados podem entrar em contato pelo telefone do Hemocentro da Paraíba (3133-3465), que também é WhatsApp, para tirar dúvidas e solicitar o exame sorológico. “A partir daí, a pessoa aguarda o resultado. Se teve a doença e os anticorpos vai ser convocado para doar o plasma”, explicou. 

Ainda de acordo com Gadelha, uma bolsa de plasma de 400 ml é fracionada em duas de 200 ml, sendo assim, salvando duas pessoas. “É uma forma terapeuta para as pessoas para se recuperarem”, frisou, destacando ainda, em relação aos doadores, que são observados ainda durante uma pesquisa sobre o doador quais doenças ele teve, os mesmos analisados quando ocorre a doença sanguínea. No momento, a diretora do Hemocentro da Paraíba pede doações dos sangues tipos O, A e B negativos e AB positivos. “Estamos precisando muito desses tipos, não temos bolsa desses tipos”, revelou.
 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias