Domingo, 28 de Novembro de 2021
83 99389-4851
Paraíba Saúde

INTERDITADO? Sim ou não? CRM-PB fiscaliza de Sapé e constata falta de materiais e medicamentos essenciais para o atendimento de urgências e outras irregularidades

.

12/11/2021 19h28 Atualizada há 2 semanas
276
Por: Redação Sapé na Web Fonte: Assessoria CRM
INTERDITADO? Sim ou não? CRM-PB fiscaliza de Sapé e constata falta de materiais e medicamentos essenciais para o atendimento de urgências e outras irregularidades

Conforme o relatório de fiscalização, faltam materiais e medicamentos essenciais para o atendimento de urgências, há superlotação e permanência de pacientes graves em sala vermelha, além de problemas no setor de radiografia



O Conselho Regional de Medicina do Estado da Paraíba (CRM-PB) fiscalizou o Hospital Regional Dr Sá Andrade, no município de Sapé, no dia 28 de outubro do corrente ano de 2021. Conforme o relatório de fiscalização, faltam materiais e medicamentos essenciais para o atendimento de urgências, há superlotação e permanência de pacientes graves em sala vermelha, além de problemas no setor de radiografia.

A vistoria foi realizada por solicitação do Ministério Público da Paraíba para verificação de fluxo de atendimento e disponibilidade de materiais, medicamentos e insumos hospitalares. Recentemente, o CRM-PB fiscalizou o hospital duas vezes: em abril deste ano e em dezembro de 2020. Nesta última vistoria, em outubro de 2021, foi constatado que alguns problemas persistem.

No momento da vistoria, o setor de pronto-atendimento estava moderadamente cheio, a sala vermelha com superlotação, com pacientes internados aguardando regulação de vagas para leito em UTI, para tomografia e para avaliação neurológica. A sala de radiografia conta com um equipamento antigo, com limitação de realização de alguns exames, o avental plumbífero com aspectos deteriorado, além de estar faltando filme para radiografia de tórax.

A equipe do CRM-PB também observou que no hospital faltam medicamentos básicos e seringas. A escala médica de plantonistas (três diurnos e dois noturnos) estava completa, mas não há escala de médico diarista. O relatório do CRM-PB foi enviado à direção do hospital, ao gestor municipal, à Promotoria de Justiça de Sapé, à Vigilância Sanitária e ao Conselho Regional de Técnicos em Radiologia.

 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por CRM-PB (@crmparaiba)

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias